Presidente da OAB critica advogados de Suzana Richthofen

Para o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, um advogado instruir o cliente a mentir "contraria os princípios éticos da advocacia". Em entrevista ao site da OAB, Busato criticou, nesta segunda-feira, 10, o comportamento dos advogados de Suzana Richthofen, que sugeriram à jovem que ela mentisse durante uma entrevista ao programa Fantástico da Rede Globo."A advocacia é estribada em rígidas regras éticas e morais e não se pode admitir nenhum tipo de procedimento que não esteja em conformidade com aqueles dispostos na ética; o advogado deve ser absolutamente leal dentro de suas relações com o processo, com as partes e com seu cliente", disse Busato, para quem as cenas mostradas pelo programa Fantástico "afrontam preceitos éticos que norteiam a advocacia".Busato destacou que, no ano passado, dos 500 casos envolvendo faltas cometidas por advogados no exercício da profissão, que chegaram à Segunda Câmara do Conselho Federal da OAB, o Código de Ética da Advocacia foi acionado em cerca de 90%, punindo os culpados. As punições, conforme o código, consistem em censuras, suspensões, multas ou até exclusão dos quadros da entidade, conforme a gradação da falta cometida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.