Presidente da OAB pede punição ''exemplar''

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), César Britto, defendeu ontem a "punição exemplar" dos militares do Exército envolvidos na morte de três jovens do Morro da Providência, no Rio. Para ele, há funções que não entram em conflito com o papel do Exército, mas permitir que a força tenha tarefa policial é desrespeitar suas atribuições estipuladas pela Constituição.O presidente da OAB disse acreditar que a situação é igualmente "incômoda" para os que respondem pelo Exército. "O Exército não é nem pode ser cúmplice de um crime, e os crimes têm de ser punidos. Os militares que se envolveram neste episódio, que não se confunde com o Exército, têm de ser punidos. Não podemos aceitar que quem deve guardar nossa segurança seja ele próprio o causador da nossa insegurança", insistiu o jurista.A Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República informou, em nota, que vai criar uma comissão para investigar o caso.Integrantes da comissão vão ouvir parentes das vítimas, representantes da comunidade e entidades ligadas à defesa dos direitos humanos, bem como as autoridades que apuram o crime. Uma equipe da secretaria deverá permanecer no Rio, enquanto durarem as investigações. COLABOROU TALITA FIGUEIREDO

Rosa Costa, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

18 de junho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.