Presidente de CPI minimiza declaração de Marta Suplicy

Marcelo Castro afirmou que ministra não precisa ser convocada para se explicar

Agencia Estado

15 de junho de 2007 | 02h51

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara que investiga a crise no setor da aviação civil, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), afirmou na tarde desta quinta-feira, 14, que "foi infeliz" a declaração da ministra do Turismo, Marta Suplicy, que aconselhou o turista brasileiro a "relaxar e gozar", em vez de se preocupar com o atraso dos vôos causado pelo apagão aéreo."Foi infeliz, mas foi um lapso, e isso acontece com qualquer ser humano", disse Castro. Na avaliação dele, a ministra, que depois pediu desculpas à população pela gafe, não precisa ser convocada pela CPI para se explicar.Durante a manhã, o deputado Vic Pires Franco (DEM-PA) apresentou requerimento de convocação da ministra. Mas Marcelo Castro minimizou o fato: "É fogo de palha, é uma coisa de momento. Daqui a uma semana, essa história já passou".O relator da CPI, deputado Marco Maia (PT-RS), considerou "um equívoco" a declaração da ministra, mas tentou justificá-la: "Acredito que a afirmação dela foi baseada no fato de alguém que está indo fazer turismo e, portanto, terá momentos de lazer", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
CPIMartaSuplicy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.