Presidente do Congresso fez voo secreto a Macapá

As autoridades da Aeronáutica, que controlam as rotas entre Brasília e a capital do Amapá e estavam em estado de alerta por causa da Operação Mãos Limpas da Polícia Federal, detectaram no início desta semana um voo especial. O presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB-AP), tentou contratar um voo entre Brasília e Macapá, mas exigiu que a empresa fizesse o serviço sem deixar rastros.

, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2010 | 00h00

O presidente do Senado queria viajar sem registro de rota e sem registro da tripulação. O governo soube da pretensão e temeu que a Operação Mãos Limpas tivesse de adiar a mobilização para executar os mandados de prisão ao longo do dia de ontem. Os agentes da PF monitoram os aliados de Sarney no Estado, mas não viram motivos para adiar a operação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.