Presidente do STF vê em atentados "era de delinqüência"

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, disse, nesta sexta-feira, que os atentados à bomba em São Paulo "inauguram uma era de delinqüência", porque visam atingir órgãos públicos e o Judiciário. Para ele, os bandidos querem atingir o Judiciário porque este Poder "vem contrariando o interesse dos delinqüentes"."É alarmante o que ocorreu e é preciso investigar para se chegar aos responsáveis." Já o presidente do STJ, Paulo Costa Leite, pediu apuração rigorosa dos atentados. "Temos de saber o significado desse atentado, se representa a criminalidade agindo contra o Estado, contra as instituições ou se trata de um fato isolado." Para ele, "quem manda na cadeia é o crime organizado" e o sistema prisional "está falido".Ele exigiu uma política nacional de segurança "que retome o comando das prisões". Para Costa Leite, a sociedade e o governo têm adotado "medidas espasmódicas" para combater o crime. Segundo ele, o problema não será resolvido com o aumento das penas, pois é necessário estabelecer uma política de segurança. "Não adianta trabalhar em cima de questões pontuais, precisamos de ação permanente nesse campo, o que é possível a partir de um amplo diagnóstico e a elaboração de uma política nacional de segurança", declarou o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.