Presidente pede na TV para manter 'modelo de governo'

Apelo para que população tome a 'decisão correta' foi feito em rede nacional de rádio e televisão, para celebrar o 1º de Maio

Tânia Monteiro, Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

BRASÍLIA

Em rede nacional de rádio e TV, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ontem que a população tome "decisões corretas" para manter o "modelo de governo" atual. Lula é o padrinho da pré-candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff à Presidência.

Lula falou que esse "modelo" de gestão ainda está no início e citou a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) como exemplo de investimentos para o futuro. Lula já chamou Dilma de "mãe do PAC".

"Olhando para o calendário, meu período de governo está chegando ao fim. Mas algo me diz que este modelo de governo está apenas começando", disse.

"Sabe por quê? Porque este modelo não me pertence: pertence a vocês, pertence ao povo brasileiro. Que saberá defendê-lo e aprofundá-lo, com trabalho honesto e decisões corretas."

O pronunciamento foi feito ontem para celebrar o Dia do Trabalhador, amanhã. Lula antecipou a veiculação em rede nacional porque sábado é um dia de baixa audiência na televisão e ele queria apresentar para a população, na sua última fala aos trabalhadores antes de deixar o governo, as conquistas obtidas por sua administração. "No dia 1.º de maio, graças a Deus, temos comemorado, ano após ano do meu governo, o aumento do emprego, da massa salarial, do salário mínimo, do crédito e do poder de compra do trabalhador."

No feriado de 1.º de maio, Lula estará presente nas comemorações das centrais sindicais CUT e Força Sindical, em São Paulo. Ele deve comparecer, ao menos, em quatro eventos. O Palácio do Planalto não revela, mas Dilma deve acompanhar o presidente na maioria das celebrações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.