Presidente quer mais segurança na corte

Disposto a diminuir a publicidade do Supremo Tribunal Federal (STF), o novo presidente Cezar Peluso pretende que a segurança do tribunal seja treinada para evitar manifestações dentro do plenário e passe a encaminhar os manifestantes à Polícia Federal.

, O Estado de S.Paulo

24 de abril de 2010 | 00h00

Outras mudanças devem aumentar controle nos corredores do tribunal. Hoje, quem vai ao STF apenas para almoçar pode, com facilidade, chegar ao gabinete da presidência ou abordar um ministro antes da sessão.

Peluso trouxe do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro o novo chefe da segurança do Supremo: o tenente coronel Elysio dos Santos. A intenção é evitar incidente como o ocorrido no julgamento da extradição do ex-ativista italiano Cesare Battisti. Em novembro, manifestantes estenderam faixas no plenário e gritavam "liberdade para Battisti", comportamento proibido pelo regimento do STF. Foram retirados do prédio com violência, mas voltaram na sessão seguinte.

Em março, um homem subiu à tribuna, o que suspendeu a sessão presidida por Peluso. Os seguranças o abordaram e o levaram para fora do plenário, mas a polícia não foi chamada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.