Presidente regional do PV será investigado por pedofilia

A Polícia Civil de Jundiaí, interior de São Paulo, instaurou inquérito para apurar a origem e quem são os responsáveis pelo material pornográfico com imagens de adolescentes que foi encontrado em um Celta dirigido pelo presidente do Partido Verde (PV) da cidade, o vendedor Francisco Alves Barreto, 43 anos, no último sábado, 23. A polícia chegou ao Celta após uma denúncia anônima. O representante do PV foi detido sábado em Jundiaí após a apreensão de 22 CDs e 29 folhas com fotos de adolescentes e crianças nuas em atos sexuais. Na sexta-feira, 22, outra denúncia dizia que o motorista do carro teria distribuído material pornográfico em frente a uma escola.De acordo com o advogado de Barreto, João de Deus Gomes, o presidente local do PV nega qualquer relação com o material encontrado. O advogado disse ainda que a denúncia, considerada por ele vazia, foi uma atitude tomada para prejudicar Barreto. Gomes informou que o carro usado por seu cliente era alugado. A delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Fátima Giassetti, irá convocar os envolvidos no caso para prestar depoimentos, onde Barreto deverá apresentar sua versão às autoridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.