Preso acusado de agredir pai e filho durante festa no Rio

A polícia prendeu hoje o estudante de Comunicação Social Paulo Roberto Guimarães Cury, de 20 anos, acusado de ter espancado e esfaqueado duas pessoas - pai e filho - durante briga em uma festa na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, domingo à noite. Ele foi autuado por tentativa de homicídio qualificado, provocado por motivo fútil. Machucado, Cury estava num hospital da zona sul. Também suspeito de participação na briga, Paulo Paiva, 29 anos, se apresentou na 16ª Delegacia Policial.Principal vítima da agressão, o comerciante Ricardo Martins Ângelo, de 41 anos, continua internado em observação no hospital. A agressão ocorreu em um churrasco no condomínio Barra Summer Dream e começou quando Ricardo reduziu o volume do som da festa para não incomodar os vizinhos. A atitude do comerciante foi contestada pelos pitboys, que foram expulsos do local. Em seguida, o grupo voltou, armado com garrafas e facas, e atacou Ricardo. O filho dele, Miguel Martins Ângelo, de 18, tentou apartar a abriga e também foi agredido. O comerciante passou por uma cirurgia na barriga e o garoto teve cortes no tórax, nos braços e na cabeça.BoiteEm outro episódio de violência na noite de domingo envolvendo jovens de classe média, os seguranças da boate The Cube, em Copacabana, na zona sul, foram acusados por freqüentadores de terem facilitado a fuga de pitboys durante uma briga. Eles podem ser indiciados por favorecimento pessoal.Um dos cinco rapazes que agrediram o estudante Daniel Ramos, de 22 anos, chegou a dizer, pouco antes do tumulto, que não seria punido porque era amigo dos vigilantes. O engenheiro Antônio Pádua Ramos, pai de Daniel - que sofreu fratura no braço e ficou com ferimentos na boca e no nariz -, disse que os agressores continuaram batendo no rapaz mesmo depois que os seguranças apartaram a briga. Somente um dos pitboys foi detido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.