Preso acusado de matar delegado durante emboscada em SP

A Polícia Civil localizou, na tarde de quarta-feira, Gabriel Donizete da Silva Filho, acusado pelo assassinato, no dia 25 de agosto do ano passado, do delegado Ailton Olímpio Dias, de 38 anos. O crime ocorreu durante uma emboscada no Jardim São Paulo, em Guaianazes, na zona leste da capital paulista. Dias tinha sido nomeado delegado havia quatro anos e era plantonista da Delegacia de Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. Além de Gabriel, os investigadores do 44º Distrito Policial, de Guaianazes, detiveram Jairo Mendes Vieira, que também era procurado por homicídio, mas que não teve ligação com o assassinato do delegado. Os dois criminosos foram detidos na região de São Mateus, na zona leste, e levados para a carceragem de Guaianazes. A dupla será transferida para a 8ª Delegacia Seccional Leste, que fica sobre o 69º Distrito Policial, no bairro de Teotônio Vilela. Os policiais que investigam o caso estão à procura de outro acusado pelo crime, Rodrigo Ramos da Silva, cujos documentos foram apreendidos na ocasião pelos policiais na casa do próprio criminoso após uma denúncia anônima. ExecuçãoO delegado Ailton Olímpio Dias foi morto na madrugada de uma quinta-feira, na Rua Furtado de Moraes, ao tentar prender os responsáveis pelo seqüestro de um casal de namorados. As vítimas haviam sido dominadas no bairro vizinho de Itaquera. Dias quis se passar pelo pai da jovem seqüestrada após os pais da garota irem até a delegacia para registrar o boletim de ocorrência. O delegado pediu o número do telefone celular da menina e ligou, negociando o valor cobrado pelos criminosos para liberarem o casal. Um dos bandidos atendeu e negociou o resgate, mas teria percebido que não era o pai dela quem falava ao celular. Acompanhando de um investigador, o delegado foi até o local marcado, onde estavam três homens e uma mulher, todos integrantes do bando. A quadrilha havia armado uma emboscada contra o delegado, que chegou ao local em um carro que, apesar de ser descaracterizado, não era o mesmo do pai da vítima, confirmando o que os seqüestradores já imaginavam. Os bandidos então atiraram e atingiram a cabeça do delegado. Mesmo levado ao Pronto-socorro do Hospital Geral de Guaianazes, Dias não resistiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.