Preso acusado de planejar ataque a pronto-socorro

A polícia prendeu em flagrante Wilton Roberto Scagiuzi, de 22 anos, sob a acusação de ter arquitetado o resgate do preso Alecssandro Silva Santos, de quem é amigo de infância. Por causa da ação dos bandidos, o delegado Olavo Reino Francisco, titular da 2.ª Delegacia Seccional, decidiu acabar com a visita íntima nas carceragens das dez delegacias que estão sob sua direção. O motivo é que o resgate foi planejado durante essas visitas, no 26.º Distrito Policial, onde Silva estava detido. O resgate ocorreu ontem, em um pronto-socorro, no Sacomã, zona sul de São Paulo. Os criminosos entraram no hospital disparando submetralhadoras, fuzis, escopetas, pistolas e revólveres.Com a medida, cerca de mil presos ficarão sem o direito à visita. "Fiz isso para impedir novos resgates", afirmou o delegado. Durante o resgate foram disparadas dezenas de balas, que atingiram as paredes do hospital e o carro do 26.º DP, no qual o preso havia sido levado para tirar um abscesso do rosto.Ninguém ficou ferido, nem os dois investigadores que escoltavam o preso. Scagiuzi negou que tivesse participado do crime ou fosse proprietário das armas apreendidas. Disse que estava passeando na Favela Fazendinha, no Sacomã, quando foi detido. Ele nunca havia sido preso anteriormente, mas, segundo o delegado, liderava o tráfico de drogas na favela.Com o acusado, a polícia aprendeu um revólver calibre 38. Os investigadores encontraram na favela outras 11 armas: um fuzil AR-15, um fuzil Remington, uma submetralhadora Ingra, uma espingarda calibre 12, duas pistolas calibre 45, três pistolas calibre 9 milímetros e dois revólveres calibre 38.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.