AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Preso acusado de tentar executar policial feminina

No final da noite de terça-feira, na Rua Padre Venâncio de Resende, na Casa Verde, zona norte da capital, foi detido, por policiais militares da 2ª Companhia do 18º Batalhão, Jefferson Cinis, de 21 anos, acusado de tentar executar uma policial feminina no último sábado. Com várias tatuagens pelo corpo, uma delas do Primeiro Comando da Capital (PCC), Jefferson, segundo a PM, faz parte da facção criminosa.No dia do ataque à policial, Jefferson teria descido da garupa de uma moto e, com um revólver, apontou a arma para a cabeça da policial e puxou o gatilho duas vezes, mas a arma falhou. Na ocasião, a policial estava à paisana e com o filho 2 anos nos braços. Jefferson Cinis tem antecedentes criminais por roubo. O suspeito foi encaminhado ao 40º Distrito Policial, do bairro do Limão.Outro suspeito preso Policiais militares da 4ª Companhia do 11º Batalhão detiveram, por volta das 2 horas da madrugada desta terça-feira, numa residência localizada na Rua do Carmo, na Sé, região central da cidade de São Paulo, um homem conhecido como "Irmão Peba". Segundo a PM, o rapaz estaria envolvido no ataque ocorrido à 0h30 do último dia 13, um sábado, contra posto do 2º Grupamento dos Bombeiros, em Campos Elísios, também região central.Naquela madrugada, dois bombeiros foram baleados na portaria, um cabo e o soldado João Roberto da Costa, de 40 anos, que morreu. Um bandido foi morto e outros dois fugiram. Cinco dias depois, um dos envolvidos no ataque, Eduardo Aparecido Vasconcelos, o "Mascote", foi detido e apresentado à imprensa no Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Ele disse à polícia na ocasião que seu cúmplice, um peruano conhecido como ´O Gringo´, foi o autor do tiro que matou o soldado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.