Preso advogado integrante de quadrilha de traficantes

Conversas telefônicas do preso Jaime Barbosa Cacavo, o Jota, feitas a partir do presídio Bangu 3 e interceptadas com autorização judicial, revelaram um sistema de abastecimento de drogas em favelas do Rio que envolveria o advogado Jair Nunes Cavalcanti. Ele foi preso em Porto Ferreira, perto de Campinas. As gravações mostram que Cavalcanti era o contato entre presos fluminenses e traficantes de São Paulo e transportava a droga para o Rio pela Via Dutra.Por meio das gravações, a Polícia prendeu também os irmãos Moisés Júlio Gonçalves, o Meio-Quilo, e Ezequiel Júlio Gonçalves, o Kid, também moradores de Porto Ferreira, que preparavam os carros nos quais a droga era transportada para o Rio. A droga era escondida em fundos falsos, nas laterais das portas e no forro do teto dos automóveis.Responsável pela autorização para as escutas e pela decretação da prisão preventiva dos três acusados, a juíza Sônia Maria Gomes Pinto, da 1.ª Vara Criminal de Bangu, informou que vários carros usados pela quadrilha foram apreendidos. Ela os interrogará no dia 30 no Fórum de Bangu, na zona oeste. No dia 23, a juíza ouvirá novamente o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, preso em Bangu 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.