Preso com granada é suspeito de matar 6 pessoas

Um dos acusados de tráfico de drogas presos nesta quinta-feira à noite por policiais do Departamentode Investigações sobre Narcóticos (Denarc) e que tinha uma granada, armas e cocaína é suspeito de ter cometido seis homicídios.O desempregado David Willian de Brito, de18 anos, conhecido como Batatinha, confessou ter matado dois homens no ano passado na Estação Ferroviária da Lapa, na zona oeste de São Paulo. Uma das vítimas era segurança da estação.Outro homicídio teria sido praticado no mesmo ano no bairro da Casa Verde, na zona norte. Segundo investigadores da 1ª Delegacia do Denarc, Brito teria afirmado que matou dois policiais militares. A Polícia vai tentar identificar as vítimas para confirmar os fatos confessados pelo acusado.Brito é um dos quatro presos pelo Denarc após tiroteio na noite desta quinta-feira, na Casa Verde, perto da Escola Estadual Capitão Pedro Monteiro do Amaral, na Rua Carlos Belmiro Correia. Estão presos os estudantes Wellington Soares Ferreira, de 19 anos, Emerson Ferreira Bernardo, de 22, e o fiscal de ônibus DeversonFabrício Vieira Priosti, de 23.A polícia informou que os quatro foram presos ao atirar contra os policiais para libertar Eduardo Michel da Cruz, de 20 anos, o Dudu. Este foidetido quando vendia cocaína. Quando os policiais o levaram para o local onde guardava a droga, integrantes da quadrilha dele dispararam e, durante o tiroteio, ele escapou.Na casa, os investigadores apreenderam um revólver 38 e uma pistola calibre 380 preparada para receber silenciador, além da granada de uso exclusido das Forças Armadas. Foram apreendidossessenta papelotes de cocaína. O artefato explosivo será encaminhado ao Grupo deAções Táticas Especiais (Gate) da PM para ser detonado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.