Preso comandante do 7º Batalhão da PM de São Gonçalo (RJ)

Estão sendo cumpridos 24 mandados de prisão, sendo 13 contra policiais militares acusados de receber propina de traficantes

estadão.com.br,

19 de dezembro de 2011 | 09h05

SÃO PAULO - Os policiais militares acusados de cobrar propina de traficantes para não reprimir a venda de drogas na região recebiam mensalmente valores em torno de R$ 160 mil, segundo informações da Polícia civil do Rio.

Entre os dois presos nesta segunda-feira, 19, durante a Operação Dezembro Negro, desencadeada no Morro da Coruja, em São Gonçalo, estão o tenente-coronel Djalma Beltrami, atual comandante do 7º BPM (São Gonçalo) e um traficante. Também foi apreendido cinco quilos de maconha.

Os cerca de 100 policiais civis Delegacia de Homicídios de Niterói e da Baixada Fluminense (DHNSG), em conjunto com agentes da Corregedoria Geral Unificada (CGU), participam da operação, que tem o apoio de delegacias especializadas, além de helicóptero e blindado, e visam cumprir 24 mandados de prisão, sendo 11 contra traficantes e 13 contra PMs do 7º BPM (São Gonçalo), e nove da busca e apreensão.

A partir de investigações da DHNSG sobre a ligação de traficantes daquela comunidade com homicídios ocorridos naquela região, os agentes descobriram que policiais militares do 7º BPM recebiam propinas de traficantes para não reprimir a venda de drogas na região.

Texto atualizado às 13h22

Mais conteúdo sobre:
propinamilitaresrio de janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.