Preso é ameaçado de morte em telefonema anônimo

Delegados e investigadores do 1º DP de Ribeirão Preto ficaram em estado de alerta e a segurança no local foi reforçada durante a madrugada de hoje, após um telefonema anônimo ameaçando de morte três pessoas que estavam no local. Na ligação, uma pessoa informou que o servente de pedreiro Jaciel da Silva, sua irmã e seu cunhado seriam assassinados se saíssem da delegacia. Silva foi preso ontem à noite, durante um churrasco, e confessou ter assassinado a tiros Neusa Aparecida Sulino, dona de um bar no Parque Ribeirão Preto, e o cliente Pedro da Silva, além de ferir outra mulher. O crime ocorreu no dia 16 e Silva diz que estava bêbado.Segundo Silva, Neusa teria ameaçado seus parentes de morte porque ela suspeitava que eles teriam denunciado seu marido, um foragido, à polícia. O delegado Sérgio Pereira, após o telefonema, tomou precauções e reforçou a delegacia. Silva ficará preso temporariamente por cinco dias. Seus parentes ficaram no 1º DP, receosos de sair. A polícia deverá escoltá-los na saída.

Agencia Estado,

20 de março de 2003 | 15h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.