Preso em Ibiúna avô que mantinha neto de 2 anos amarrado

Após uma denúncia anônima, a polícia prendeu nesta quinta-feira, 22, o aposentado José Nunes de Oliveira, de 64 anos, acusado de manter seu neto de dois anos amarrado no quintal de casa, próximo a um pitbull e dois vira-latas. A casa fica no bairro Apiaí, periferia de Ibiúna, interior de São Paulo. Policiais da Guarda Municipal e do Conselho Tutelar foram ao local por volta das 10h30 e prenderam o aposentado em flagrante. Nunes ainda teria tentado soltar o neto. Um funcionário do Conselho gravou imagens do menino amarrado. A última refeição do menino foi uma mamadeira, por volta das 17 horas de quarta-feira, 21. Segundo o delegado local José de Arruda Madureira Júnior, Nunes contou que o garoto era amarrado para não arrancar as flores do jardim. Durante o dia, ficava preso no quintal, com um colchão próximo para caso quisesse dormir. À noite, os avós o retiravam do quintal. A situação acontecia havia cerca de 30 dias.A filha de Nunes deixara o neto na casa dos avôs para viver com um homem, de acordo com o delegado. Ela já foi localizada no município e deve ser levada à delegacia para prestar esclarecimentos.O pai do garoto morreu durante uma troca de tiros com a polícia de Ibiúna, há um ano. O menino foi levado para a Santa Casa da cidade e passa bem. Agora, ele está sob os cuidados do Conselho tutelar. O avô será atuado por tortura, que prevê de dois as oito anos de reclusão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.