Preso em MT acusado de matar taxistas

"Fui eu mesmo." Com essa frase, Anestor Bezerra de Lima, de 30 anos, confessou aos policiais militares de Conisa (MT) que é de fato o matador de taxistas. Lima foi preso às 17h30 de sexta-feira em uma barreira montada por quatro PMs, a pedido de policiais de Machadinho d´OEste (RO), onde ele contratara na quinta-feira à noite sua última viagem de táxi. Oitenta quilômetros adiante, já dentro de Mato Grosso, Lima matou o motorista. Mas, desta vez, o taxista reagiu e Lima foi alvejado no braço e na perna. Ele pegou, então, carona com um caminhoneiro e acabou detido no bloqueio. Com o acusado, os policiais encontraram três carteiras de identidade. Uma estava em seu nome, a segunda era o documento de um homem chamado Daniel e a última pertencia a um cabo do Exército. Ele também portava a pistola calibre 7,65 milímetros usada em seus crimes. Com a vítima de quinta-feira, a polícia já tem certeza de que Lima fez dez vítimas - nove pessoas morreram e uma sobreviveu. Para chegar a Rondônia, o matador de taxista apanhou um avião no Paraná e desembarcou em Porto Velho (RO). De lá, apanhou um táxi para Machadinho d´Oeste, de onde apanhou outro para Mato Grosso, em direção à cidade de Juína. Policiais de São Paulo voaram para Mato Grosso levando os mandados de prisão nas mãos para trazer o preso para o Estado.A prisão de Lima põe fim a uma caçada iniciada na semana passada, quando a polícia descobriu que era ele o responsável pelo aparecimento misterioso de corpos sem identificação na região da Estrada de Água Limpa, em São Bernardo do Campo (SP). Nas investigações, a polícia descobriu que cinco corpos eram de taxistas contratados em Minas por Lima e assassinados em São Paulo - outros quatro corpos achados na região continuam sem identificação e, segundo o delegado Marco Antônio de Paula Santos, da Delegacia Seccional de São Benardo do Campo, podem ser de vítimas do taxista.Depois, surgiu o caso de um taxista contratatdo em Campinas e morto a caminho de São Paulo - Lima estava em Campinas naquele dia e tem uma irmã que mora naquela cidade. Uma outra vítima desapareceu depois que saiu com Lima para comprar um Santana que o matador havia roubado de um taxista mineiro. Ao todo, o preso é acusado de matar oito pessoas em São Paulo - entre elas seis taxistas mineiros - e de tentar matar uma outra vítima, que sobreviveu.

Agencia Estado,

11 de setembro de 2004 | 09h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.