Preso ex-policial condenado pela morte do jornalista Mário Eugênio

A Polícia Civil prendeu o autor de um dos crimes de maior repercussão do Distrito Federal. Vinte agentes capturaram o ex-policial civil Divino José de Matos, condenado a 14 anos de prisão pela morte do jornalista Mário Eugênio, em 1984. Divino 45, como era conhecido, estava foragido há dois anos. Foi detido às 17h30 de ontem, quando sacava dinheiro em uma agência do Banco Regional de Brasília no Pistão Sul, em Taguatinga. A prisão ocorreu dois meses depois que a Divisão de Operações Especiais (DOE) e o Serviço de Inteligência da Polícia Civil intensificaram o trabalho de busca. Os policiais tinham pistas de que Divino passava por vários Estados mas costumava voltar a Brasília. ´´Fizemos buscas em outras cidades e conseguimos deter Divino 45 quando estava numa das passagens por Brasília´´, disse o porta-voz da Polícia Civil, Miguel Lucena. ´´Ele conhece todas as formas de investigação por ter sido policial civil, mas estávamos em maior número e conseguimos surpreendê-lo´´. A polícia levou Divino ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo e delito e em seguida transferiu o ex-policial para a delegacia do Cruzeiro, onde ficará até ser encaminhado para a 3.ª Companha de Polícia Militar Independente (CPMind). O quartel fica ao lado do complexo penitenciário da Papuda e abriga policiais condenados. Segundo informações do site do jornal Correio Braziliense, durante a escolta, o rosto de Divino ficou protegido por um cobertor vermelho. Agentes tentavam evitar que ele fosse fotografado. ´´Nós só apresentamos presos à imprensa nos casos em que eles precisam ser reconhecidos por vítimas, podemos até responder por abuso se mostrarmos sua imagem´´, justificou o porta-voz da Polícia Civil.

Agencia Estado,

09 de agosto de 2003 | 14h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.