Preso flanelinha que lavava dinheiro do furto do BC

O flanelinha Adelino Angelim de Sousa, o "Amarelo", foi preso, neste sábado, dia 2, em Fortaleza, acusado de envolvimento no furto milionário ao Banco Central, em agosto do ano passado. De acordo com a Polícia Federal (PF), Amarelo estava ajudando os demais elementos da quadrilha a "lavar" parte do dinheiro furtado do banco, comprando carros, imóveis e outros bens. Adelino trabalhava como guardador de carros na Avenida Beira Mar, principal corredor turístico da capital cearense, quando conheceu alguns dos envolvidos no megafurto. "Ele tinha comprado seis casas na região de Morada Nova (CE); e montou uma loja de peças de moto", informou o delegado federal Paulo Sidney de Oliveira, responsável pelo inquérito sobre o BC no Ceará. Segundo Paulo Sidney, o patrimônio levantado em tão pouco tempo pelo flanelinha chamou a atenção. A PF está com seis equipes fazendo diligências nas cidades de Boa Viagem e Pereiro. A primeira é a terra natal de dois dos acusados de liderar o bando: Lucivando Laurindo, preso ontem no Rio Grande do Sul, e de Antônio Jussivan Alves dos Santos, o "Alemão". Novas prisões devem ocorrer ainda neste sábado, segundo informou a PF.O juiz responsável pelo caso, Danilo Fontellle Sampaio, da 11ª Vara da Justiça Federal, vai divulgar, na segunda-feira, dia 4, mais detalhes sobre a operação "Facção Topeira", desencadeada nesta sexta, dia 1º, em dez estados e que culminou com a prisão de 39 pessoas. Ele também promete anunciar novidades sobre o andamento do processo contra os acusados pelo megafurto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.