Preso há um mês, acusado de roubar R$ 0,80

Acusado de roubar R$ 0,80, o lavador de carros David Gedison de Oliveira, de 30 anos e pai de cinco filhos, divide há quase um mês uma cela com 39 presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) do Belém. O caso aconteceu em setembro, no Parque São Lucas, zona leste da capital. A "vítima" disse à polícia que Oliveira o assaltou com uma das mãos debaixo da blusa simulando uma arma. Ele se defende: teria pedido dinheiro para "inteirar a passagem do ônibus". O Departamento de Inquéritos Policiais e Polícia Judiciária (Dipo) e o Ministério Público negaram o pedido de liberdade provisória. Segundo especialistas, Oliveira deveria responder em liberdade, já que não tem antecedentes criminais e pela insignificância do valor roubado. Oliveira foi preso em 11 de setembro. Era 0h30 quando PMs desconfiaram de dois homens perto de um caminhão. Pensaram que estavam usando drogas e abordaram a dupla. O rapaz, de 19 anos, disse que havia sido roubado por Oliveira. Os policiais revistaram o acusado e não encontraram arma. Em seu bolso havia só os R$ 0,80. Ele negou o assalto e disse ter pedido o dinheiro. Os dois foram levados ao 42º DP (Pq. São Lucas), onde prestaram depoimento à delegada Sandra Aparecida Dantas, que autuou o lavador em flagrante por roubo. No último dia 15, o defensor público Fernando Vernice dos Anjos entrou com um pedido de liberdade provisória. O promotor Delcio Delarco se manifestou contra a soltura do preso, assim como o juiz do Dipo, Davi Capellato. O magistrado defendeu que não havia irregularidade no flagrante; que o crime cometido é delito muito grave; e que Oliveira não tinha ocupação fixa. Delarco não foi localizado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.