Preso ligado ao PCC é morto em Sorocaba

O preso Amadeu Eduardo Perazzollo, de 24 anos, foi assassinado com golpes de faca, domingo 21, no interior da Penitenciária Danilo Pinheiro, no bairro Mineirão, em Sorocaba. O detento fazia parte do Primeiro Comando da Capital (PCC). O preso Emerson dos Santos Silva, de 26 anos, integrante do Terceiro Comando da Capital (TCC), uma facção rival, assumiu a autoria do crime. Ele contou aos policiais ter recebido a missão de proteger o líder da facção César Augusto Roriz da Silva, o "Cezinha", um dos fundadores e dissidente do PCC, preso na penitenciária de Sorocaba. Segundo Silva, a vítima tinha sido infiltrada no presídio pela facção rival com a missão de matar "Cezinha". Essa foi a segunda morte, em menos de uma semana, causada pela disputa entre as facções no presídio, que é controlado pelo TCC. No dia 16, o preso Luciano França Martins, de 26 anos, supostamente ligado ao PCC, foi assassinado pelos presos porque teria sido incumbido da morte de "Cezinha". O líder é considerado traidor e estaria jurado de morte pela facção. Nesta segunda, a Polícia Militar prendeu, no bairro Sorocaba 1, zona oeste da cidade, o detendo Asley José Aparecido de Campos, considerado foragido da Penitenciária de Campinas. Ele saiu para o indulto do Dia das Mães e não voltou. Campos declarou ser integrante do PCC e a polícia investiga sua possível participação em atentados contra duas bases da Polícia Militar na cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.