Preso mais um envolvido na execução do agente penitenciário

Foi preso, na noite de sexta-feira, na divisa entre São Paulo e Itapecerica da Serra, na Região Metropolitana de São Paulo, Fábio dos Santos Moreira, de 25 anos. Com a prisão, agentes da Dise (Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes), da Delegacia Seccional de Taboão da Serra, confirmaram a autoria do crime que vitimou na madrugada da última quarta-feira, dia 26, o agente penitenciário Nilson Celestino, de 41 anos. Fábio foi preso com uma submetralhadora, com um pente de 40 tiros, que seria entregue para um dos autores do homicídio. O crime ocorreu às 6h45 na Rua Galeão, no Jardim Jacira, em Itapecerica da Serra. Celestino foi executado na porta da sua residência com mais de 10 tiros de pistola calibre 380 e de uma espingarda calibre 12, disparados por três homens, que ainda estão foragidos. Pouco depois da execução, a polícia prendeu Renato Fernandes de Souza, de 21 anos, em cuja casa, na mesma rua, os homicidas ficaram escondidos para armar a emboscada ao agente. Renato identificou os criminosos como sendo Leandro Soledade da Silva, de 24, o "Bolacha" ou "Mirabel", Leandro Souza Matos de Menezes, de 20 anos, o "Lê" e Adailton Ferreira Leite, de 28, o "Dai". Os dois últimos já eram procurados pela Justiça, por homicídio. Os três são pistoleiros ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital). "A partir daí, colocamos cerca de 50 policiais civis nas ruas para investigar. A maioria está trabalhando disfarçada", conta o chefe dos investigadores do SIG (Serviço de Investigações Gerais), da Dise, Ronaldo Marcos Nogueira. Em meio a denúncias anônimas e informações que policiais levantaram na região, apurou-se que um dos envolvido tinha um Pálio preto e morava entre os Jardins Capela e Jacira. "Mandei duas guarnições ficarem à espreita perto da casa do suspeito. Ele chegou por volta de 23h30 e, quando desceu do carro com uma sacola plástica, para fechar o portão, recebeu voz de prisão", explica Nogueira. Segundo ele, "na sacola havia a submetralhadora e o pente com balas que ele ia entregar a ´Bolacha´, que é um dos assassinos do agente penitenciário".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.