Preso mais um líder do Terceiro Comando no RJ

A facção criminosa Terceiro Comando (TC), alvo da megaoperação de combate ao narcotráfico que envolve as polícias militar, civil e federal, em parceria com o Ministério Público, sofreu mais uma baixa. O traficante Alberico de Azevedo Medeiros, o Derico, um dos líderes do grupo, foi preso em Campo Grande, na zona oeste do Rio.De acordo com o delegado titular da Delegacia de Homicídios, Paulo Passos, o criminoso comanda o tráfico nos morros da Lagartixa e de Acari, na zona norte da cidade, e pertence ao bando de Paulo Cesar Silva dos Santos, o Linho, um dos líderes do TC.Paulo Passos disse que "Derico e Linho têm o mesmo poder na hierarquia do TC." Derico é filho adotivo do traficante Jorge Luiz, que atuava em Acari antes de morrer. O delegado contou que investigava homicídios em Acari há cinco meses e, durante a apuração, a polícia chegou a Derico. Um dos nomes mais fortes do TC, Linho, foragido da polícia, comanda o tráfico no Complexo da Maré, que reúne 15 favelas da zona norte. O bandido é condenado a cinco anos de prisão. Em outra operação, policiais da Delegacia Especializada na Repressão ao Crime Organizado (Draco) prenderam Pedro Henrique Costa Peixoto, o Xuxa. Ele fornecia armas e munição para os morros do complexo do Jacarezinho, na zona norte, informou a polícia. A favela é dominada pelo Comando Vermelho (CV), que disputa a liderança do comércio de entorpecentes no Rio com o TC e a facção Amigos dos Amigos (ADA) - os dois últimos grupos atuam juntos. A operação "Camisa Preta", que começou no último domingo, já prendeu 15 pessoas ligadas ao TC, entre eles os principais articuladores de Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, fundador do TC e chefe dos morros do Adeus, Juramento, Primavera, Pára-Pedro e Complexo do Caju. Na terça-feira, a força-tarefa - que começou a ser estudada seis meses atrás -, chegou à Avenida Vieira Souto, em Ipanema, onde seria feita a ponte entre o tráfico e uma casa de câmbio que lavaria o dinheiro do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.