Preso no Pará suspeito de ser o Don Juan brasileiro

Reconhecido por várias mulheres após ter sua fotografia divulgada domingo passado no programa "Fantástico", da Rede Globo, foi preso anteontem, em Belém, Paulo Roberto Mustafá Moraes, 48 anos, acusado de ser o homem que seduziu e se apropriou de dinheiro, talões de cheque e jóias de dezenas de mulheres em São Paulo e no Rio de Janeiro, ganhando a fama de ser o Don Juan brasileiro. Com ele, foram apreendidos vários cheques e documentos falsos. Recolhido a uma cela da Seccional Urbana do Guamá, o bairro mais populoso da capital paraense, Paulo Roberto Mustafá, que também se apresenta como Paulo Roberto Lima de Moraes, negou ser o golpista procurado em todo o País. "Estão enganados, não sou essa pessoa", protestou diante dos jornalistas. A semelhança física dele com o estelionatário conquistador de mulheres, porém, é muito grande e impressionou até a delegada Yone Coelho, responsável por sua prisão. Ela informou que um policial militar passou a seguir Paulo Roberto e acabou descobrindo que ele era portador de duas identidades e dois CPFs. Paulo foi autuado em flagrante pela posse de documentos falsos. Segundo a delegada, a verdadeira identidade dele está sendo checada pela polícia paraense com as polícias do Rio e São Paulo, por meio de impressões digitais.

Agencia Estado,

08 de abril de 2004 | 16h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.