Preso o acusado de queimar e matar professor em Alagoas

A polícia prendeu na noite desta sexta-feira Deilton Pereira Ferro, motorista particular do prefeito de Satuba, Adalberon de Moraes (PFL), suspeito de ser o mandante do assassinato do professor Paulo Henrique Bandeira. O professor foi queimado vivo, dentro do carro, na zona rural do município, a 30 quilômetros de Maceió. O motorista é acusado de ser o executor do crime. O professor foi assassinado depois de denunciar desvios de verbas do Fundef (Fundo Nacional de Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério) pela Prefeitura de Satuba. Deilton está preso na carceragem da Polícia Federal, onde passou a noite, depois de prestar depoimento. Desde do início da semana que a PF suspeitava da participação dele no crime, mas dependia de um mandado de prisão da Justiça para prendê-lo. A prisão do motorista aconteceu no mesmo dia da visita do coordenador nacional do Fundef, Francisco Chagas, que esteve em Maceió e iniciou em Alagoas uma devassa nas contas de 55 prefeituras envolvidas em desvios de recursos do Fundef. Chagas estava acompanhado do advogado Pedro Montenegro, ouvidor da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, representando o ministro Nilmário Miranda (PT). Eles se reuniram com o vice-governador Luís Abílio (PSB), que prometeu esclarecer o crime e prender os assassinos do professor Paulo Bandeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.