Preso suspeito de atacar ônibus da polícia do Rio

Dois dias depois do ultimato do demissionário secretário de Segurança Pública do Rio, coronel Josias Quintal, policiais militares prenderam hoje George Rosa da Silva o Boca, de 24 anos, suspeito de ter participado do ataque ao microônibus da Polícia Militar, na noite de segunda-feira, no conjunto de favelas da Maré, zona norte. A polícia já identificou outros oito acusados de participação da ação e estão sendo procurados.Segundo o delegado Reginaldo Guilherme, no momento da prisão Boca confessou ter atirado contra o veículo. Mais tarde negou o fato em depoimento na delegacia. O delegado disse que a investida contra o microônibus foi uma represália à prisão do traficante conhecido como Marcinho Bitola, apontado como um dos gerentes do tráfico da favela Baixa do Sapateiro, que integra o complexo da Maré. Bitola foi preso horas antes do ataque.A polícia prendeu Boca em casa, na Baixa do Sapateiro. "Aqui (na delegacia) ele nega, mas nos levou ao local onde estavam o fuzil, a munição e a granada. Tudo aponta para ele", disse o delegado. Segundo o policial, a arma, que estava em outra casa teria sido usada no ataque aos policiais.Em conversa com os jornalistas, Boca negou ter participado da ação. "Não sou traficante. Fui preso em casa, quando estava com minha mulher e meus filhos. O meu crime já paguei", disse. Ele foi condenado em 2000 por roubo de carros e está em liberdade condicional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.