Preso suspeito de liderar gangue dos carteiros

Gordão e um comparsa voltavam de ônibus de Foz do Iguaçu; bando também usava uniformes falsos da PF

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

17 de dezembro de 2008 | 00h00

A polícia prendeu ontem um suspeito de ser o líder da principal quadrilha da gangue dos carteiros, que assalta casas em bairros como Morumbi, Jardins e Itaim-Bibi, usando uniformes dos Correios. Alexandre Barreto Rodrigues, o Gordão, de 44 anos, foi detido com um comparsa na Rodovia Castelo Branco em um ônibus. Segundo a polícia, o bando também age fora de São Paulo.De acordo com Jorge Carrasco, delegado-seccional da zona oeste, Gordão e Marcio Gonçalves, de 31 anos, haviam roubado uma joalheria em Goiorê, no Paraná, na noite anterior. Os dois voltavam para São Paulo com mochilas carregadas de jóias. Carrasco afirmou que há três meses investigava a quadrilha - que na fuga troca o uniforme falso dos Correios por uma roupa e distintivo da Polícia Federal também falsificados.Com interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, Carrasco soube que a dupla vinha de Foz do Iguaçu. O delegado pediu auxílio da Polícia Militar Rodoviária para parar o veículo na estrada. Os acusados não resistiram à prisão. O delegado afirmou que Gordão é o chefe da quadrilha especializada em roubo de jóias. Ele era foragido desde 2005 da Penitenciária de Casa Branca, em Mococa, no interior paulista. "É um homem violento que intimida e agride as vítimas", disse Carrasco.Investigadores também chegaram a outros integrantes da quadrilha em Praia Grande, na Baixada Santista. Em uma casa foi presa Maria Augusta Souza, de 40 anos, acusada de ser responsável por guardar o armamento dos criminosos. Com ela foram apreendidas mais de mil munições. No momento da invasão dos policiais, Maria teria dado cobertura para o namorado, Evaristo Silva, de 43, fugir.Após a detenção da mulher, investigadores chegaram a um depósito da quadrilha no bairro do Canindé, na zona leste da capital. Em uma parede falsa estavam roupas de carteiros, metralhadoras, espingardas, sete pistolas, três granadas e coletes azuis de uma empresa que conserta geladeiras. De acordo com policiais, esse era outro disfarce dos assaltantes. Agora investigadores querem chegar até Evaristo e Rivellino Reis, suspeitos de integrar a gangue dos carteiros. Anderson Sales,do mesmo bando, teria sido morto por Gordão. A polícia disse que diversos criminosos usam roupas de carteiros para assaltar, mas os liderados por Gordão seriam os mais perigosos por agirem em todo o País.Um dos assaltos mais recentes aconteceu no dia 25 de outubro na Rua Atlântica, nos Jardins, área nobre da capital. Eram 13h30 quando seis ladrões invadiram a casa do empresário Isaac Duek, de 56 anos, ex-sócio da grife Forum e irmão do estilista Tufi Duek.Vestido como carteiro, um dos criminosos disse a uma empregada que precisava entregar uma encomenda. Após entrar na residência, o bandido abriu caminho para os demais integrantes da quadrilha, que fugiram meia hora depois com dólares e jóias. Isaac foi levado como refém em seu BMW. Os ladrões abandonaram o carro e o empresário na Rua Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.