Preso suspeito de mandar matar advogado em Itu

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itu, na região de Sorocaba, prenderam na noite de quarta-feira o policial militar aposentado Nicéias Oliveira Brito, acusado de ser o mandante do assassinato do advogado Humberto da Silva Monteiro, morto com um tiro no final de janeiro. Brito, que estava com a prisão temporária decretada pela justiça criminal de Itu, foi preso no saguão de um hotel, no Bairro Higienópolis, em São Paulo. Ele foi levado numa viatura da Polícia Civil à Delegacia de Polícia de Itu. Depois de ser interrogado, durante a madrugada, pelo delegado Nicolau Santarém, foi recolhido no Presídio Militar Romão Gomes, na capital. O delegado não divulgou o teor do depoimento, mas Brito negou o crime. O policial aposentado trabalha como chefe de segurança do dirigente do Ituano Futebol Clube, Élio Aparecido de Oliveira Junior, que é também vice-prefeito da cidade. Oliveira Júnior foi acusado pelo prefeito Herculano Júnior (PV) de ter planejado a morte do advogado. Prefeito e vice estão rompidos desde no ano passado. Oliveira Júnior, que já foi ouvido pela policia, negou qualquer envolvimento no caso. O delegado informou que está perto de elucidar o crime, mas ainda precisa ouvir outras duas pessoas que estão sendo procuradas. Monteiro era advogado pessoal do prefeito e foi morto com um tiro na cabeça, dia 26 de janeiro, na região central da cidade. Ele estava no carro com o jornalista da prefeitura, Josué Dantas Filho, quando dois homens numa motocicleta emparelharam com o veículo e fizeram os disparos. Dantas nada sofreu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.