Presos 8 traficantes que agiam em estação de trem

Oito traficantes que agiam no terminal de desembarque da estação Franco da Rocha, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), na Grande São Paulo, foram presos na noite de quinta-feira por agentes Departamento de Investigações Sobre Narcóticos (Denarc). A Operação Limpeza, como a ação foi batizada pelos policiais, desmantelou um esquema que vinha dando lucro para traficantes da região, por onde passam diariamente mais de duas mil pessoas. A quadrilha havia transformado o local em um ponto de venda de crack, cocaína e maconha, segundo a polícia.Agentes da Gerencia de Segurança e Serviço de Inteligência da CPTM auxiliaram os policiais civis que, durante dois meses, se revezaram na observação do tráfico de drogas, filmando toda a ação da quadrilha, a quinze metros do terminal de desembarque de passageiros, sem que os acusados suspeitassem. Foram presos as domésticas Ilma das Neves Jesus, de 35 anos e Iara Augusta da Silva Pimentel, de 18, a babá Vanusa Cenário Santa Rosa, de 25, a estudante Analysa Alva, de 19, o ajudante Anderson Alves Pereira, de 23, o cabeleireiro Luiz Fernando de Souza Costa, de 21, a Luiza, o servente de Pedreiro José Ivan da Silva, de 21, e um estudante de 17 anos. Montado há alguns meses, o tráfico ocorria em torno de um muro de um metro de altura localizado no corredor da saída de passageiros. A droga era passada pelos orifícios do muro, feito de placas de concreto e vazado por pequenos buracos onde estão os parafusos. Em outro buraco maior em um tijolo tipo bloco, esse mais escondido, eram deixados os sacos com maior quantidade de entorpecente. Nos esconderijos foram encontrados 19 papelotes de cocaína, 39 pedras de crack e 26 trouxinhas de maconha. Pela movimentação, a polícia calcula que eram vendidos, só de cocaína, mais de 200 papelotes por dia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.