Presos acusados de matar médica em SP

A partir da tentativa do roubo de um Audi, nesta segunda-feira à noite, na Vila Alpina, zona leste, a polícia conseguiu chegar a dois acusados da morte da médica Rosa Ciardi Jimenez, baleada no pescoço em uma tentativa de assalto no dia 20 de maio. Jorge Fernandes Lima, de 20 anos, e o adolescente D.R.S., de 17, confessaram o crime. As Polícias Civil e Militar trabalharam juntas e notaram semelhanças nos dois casos. A médica foi abordada enquanto dirigia seu Alfa Romeo no cruzamento das Ruas dos Giestas com Ibitirama, a cinco quadras da tentativa de assalto desta segunda-feira. Outro fator que chamou a atenção foi o tipo de carro escolhido: importado. Uma ligação ao disque-denúncia informou o nome de D.R.S. e de Fernandes Lima como os autores do latrocínio. O quebra-cabeça começou a ser resolvido quando a PM recebeu um chamado, às 21h50, para socorrer um ferido perto do cruzamento da Avenida do Estado com a Rua Ibitirama. ?O rapaz falou que estava andando pela rua quando um Palio parou e uma pessoa começou a atirar?, disse o cabo Paulo Rogério Cataldi, do 21º Batalhão. Ele se referia a Renato da Silva Lima, de 18 anos, baleado no ombro direito e nas pernas. D. estava junto com o rapaz. No 56º DP, D. admitiu que tentaram roubar um Audi e que o motorista teria reagido. A arma foi escondida na altura da Rua Ibitirama, sob um amontoado de galhos e folhas. Durante interrogatório, ele confessou o assassinato. Contou que estava com Fernandes Lima e ele atirou na médica. Segundo a polícia, a dupla vendia os carros roubados a desmanches no ABC. A delegada Raquel Cristina Cardoso pediu a prisão temporária de cinco dias para Fernandes Lima e prendeu Silva Lima em flagrante pelo crime desta segunda-feira. D. foi encaminhado ao SOS Criança.

Agencia Estado,

10 Junho 2003 | 23h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.