Presos acusados de seqüestrarem cunhada de ladrão do BC

A polícia cearense apresentou hoje quatro acusados de participarem do seqüestro da costureira Rejane do Nascimento, de 32 anos, cunhada de um dos suspeitos de envolvimento no furto milionário ao Banco Central de Fortaleza. A polícia chegou aos seqüestradores após uma denúncia por tráfico de drogas. No roubo ao BC, no primeiro fim de semana de agosto passado, foram levados R$ 164,7 milhões. Em uma casa em Messejana, periferia de Fortaleza, foram presos Wellington Gomes de Oliveira, Antônio Edinaldo Soares, Vadeinilson Ferreira Lima Júnior e Francisco Santos da Silva. Com eles, foram apreendidos duas armas, munição, aparelhos celulares e R$ 2 mil. O seqüestro da costureira aconteceu na semana passada e durou três dias. Segundo a polícia, Rejane foi levada por engano, pois teria sido confundida com a irmã, Rosângela, mulher de Antônio Edmar Bezerra, que está preso desde 28 de setembro, quando se preparava para fugir com mais quatro suspeitos de integrar a quadrilha que furtou o BC usando um túnel de 78 metros. Os cinco estavam numa casa no Mondubim, periferia de Fortaleza, onde a Polícia Federal conseguiu recuperar pouco mais de R$ 12 milhões do dinheiro roubado do BC. O seqüestro de Rejane foi o quarto envolvendo pessoas ligadas ao furto milionário. Em seis meses de investigação foram recuperados quase R$ 18 milhões. Os supostos chefes da quadrilha continuam foragidos. Um deles é Moisés Teixeira, o "Cabelo", que também é acusado de roubar, em 2004, a Transbank, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.