Presos acusados de seqüestro de sobrinhas do governador do MT

Policiais da Divisão Anti-Seqüestro (DAS) da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso prenderam na madrugada desta quinta-feira, em Rondonópolis, 210 quilômetros ao sul de Cuiabá, três dos quatro bandidos acusados de seqüestrar as adolescentes Sabrina, de 15 anos, e Andressa Maggi, 16, sobrinhas do governador do Estado, Blairo Maggi (PPS).O seqüestro ocorreu no último fim de semana. As duas permaneceram 20 horas em poder do seqüestradores e a família pagou R$ 30 mil pelo resgate. O rastreamento das ligações recebidas em um dos celulares das vítimas permitiu à polícia chegar até a quadrilha.Estão presos na Delegacia Regional de Rondonópolis, Rafanellys Lima da Cunha, de 20 anos, Márcio Alerico Gonçalves, 19, Fábio Roos da Silva, 23. O outro suspeito é Diogo da Silva Maia, 20, que continua foragido. Todos são de Rondonópolis, cidade onde moram as vítimas com a família.Fábio Roos, campeão de jiu-jitsu, costumava manter contato com as vítimas antes do seqüestro pelo telefone celular. No depoimento dado pelas duas menores à polícia, ambas confessaram que o seqüestrador costumava ligar a fim de namorar uma das duas.O número de onde partiam as ligações ficou registrado no celular das adolescentes e ajudou a polícia a esclarecer o crime. Segundo o delegado titular da DAS, Luciano Inácio da Silva, as provas que incriminam o grupo são parte do dinheiro pago no resgate que foi encontrada com eles e o reconhecimento feito pelas vítimas.O delegado informou que os seqüestradores, não tinham intenção de praticar um seqüestro. "Era para ser um roubo simples, eles queriam só pegar o dinheiro e sair, mas perderam o controle da ação e o tempo se prolongou", disse o delegado. As vítimas foram rendidas pelo grupo por volta das 2 horas de domingo, quando deixavam uma das residências do governador, localizada no bairro Birigüi, em Rondonópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.