Presos continuam rebelados em Minas Gerais

Já dura mais de 18 horas a rebelião naPenitenciária José Maria Alckmin, localizada no município deRibeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte(MG). Segundo a polícia, pelo menos 150 detentos ainda fazem 3 agentespenitenciários como reféns. O motim teve início às 11h30 destesábado e, nesta madrugada, os rebelados estavam menos exaltadose não ameaçavam mais os reféns como antes, segundo o major RaulPacheco, da Polícia Militar, que comanda as negociações com osdetentos. "Eles exigem maior tempo no banho de sol,transferências, e querem, na verdade, que volte o regime antigo,quando podiam fazer tudo dentro da penitenciária", disse ooficial da PM.A Penitenciária tem 510 presos que cumprem pena em regimefechado. Em outubro, já havia ocorrido outra rebelião na JoséMaria Alckmin. Cerca de 40 policiais permaneceram de plantão emfrente à penitenciária durante a madrugada. Apesar das conversasentre presos e policiais terem sido suspensas, a PM continuacercando a penitenciária para evitar uma fuga em massa. A juízaLuziene Medeiros, da Vara de Execuções Criminais de Ribeirão dasNeves, tentou negociar com os presos, mas não obteve sucesso.Ela também deve participar da retomada das negociações, queestava marcada para começar às 7h deste domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.