Presos de Jequié (BA) continuam rebelados

Completou 48 horas na tarde de hoje a rebelião de presos no Conjunto Penal de Jequié, a 300 quilômetros da capital baiana. Um grupo de 31 detentos mantém como reféns um agente de presídio, um estuprador e quatro visitantes entre os quais duas crianças. No final da noite de ontem os rebelados libertaram Jucilene Silva e seus dois filhos Ana Roberta, de quatro anos, e Samuel, de 1 ano, que estavam retidos desde a tarde de domingo.Os presos querem as presenças do Secretário da Segurança Pública da Bahia Édson Sá e de um juiz corregedor de Salvador para reivindicarem a rapidez na tramitação dos processos e a transferência de presos devido à superlotação do presídio cuja capacidade é de 390 detentos mas abriga atualmente quase 500. A maioria não aderiu à rebelião.As autoridades baianas não querem ceder às exigências dos rebelados e estão deixando que oficiais da Polícia Militar e juizes de Jequié comandem as negociações no local. Durante a noite, a Tropa de Choque da PM mantem a pressão fazendo barulho para os rebelados não dormirem. Conforme os negociadores, o líder da rebelião é o preso Clóvis Cléber Pacheco. O coronel Ivo Silva Santos, que comanda os policiais no cerco ao presídio, disse que não está afastada hipótese de invasão do local pela PM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.