Presos de Porto Ferreira ficam sem visitas após tentativa de fuga

Devido à tentativa frustrada de fuga ocorrida no sábado (15), quando um carcereiro e um guarda civil municipal foram feitos reféns, os 84 presos (a capacidade é para 48) da cadeia de Porto Ferreira, região de Ribeirão Preto, não puderam receber as visitas de seus parentes nesta terça-feira - as visitas nessa cadeia ocorrem sempre às terças-feiras. As visitas foram suspensas pela direção da unidade.Segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP), as visitas também não ocorreram porque cinco carcereiros estão afastados por licença médica e outro está em férias.A partir desta quarta, três outros carcereiros foram encaminhados para reforçar a segurança da cadeia, o que deverá permitir as visitas normalmente na próxima semana. A SSP informou ainda que os presos estão recebendo regularmente alimentação.No sábado (15) à tarde, os presos dominaram um carcereiro e um guarda civil municipal, durante a retirada do lixo da cadeia, e tentaram fugir, na operação "cavalo doido" (figa em massa pela porta da frente). Os detentos ficaram com a arma do guarda e houve troca de tiros.Um investigador e outro guarda municipal evitaram a fuga em massa. Depois de algumas horas, e com apenas o guarda civil ferido, mas sem gravidade, o tumulto foi encerrado. Os presos reclamaram, principalmente, da superlotação no local. A cadeia está em processo de interdição desde março, quando ocorreu outra rebelião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.