Presos dois acusados de roubo de gasolina na Dutra

Os empresários Evaldo Martucelli e Gereldo Magela, proprietários de postos de combustíveis no Vale do Paraíba, foram presos em Guaratinguetá (SP). A prisão preventiva deles e de outras 13 pessoas, entre elas os empresários Jorge Lombardi da Costa, de Cruzeiro, e Antonio César da Silva, de Engenheiro Passos (RJ), foi decretada pelo juiz da Comarca de Queluz, Edward Wickfield. O juiz acatou um pedido do delegado Jão Luiz de Biasi, que aponta, num inquérito de 1.294 páginas, "fortes indícios da participação dos empresários em roubos de cargas de combustível na Via Dutra". Evaldo Martucelli e Gereldo Magela já tinham sido detidos há quinze dias em Guaratinguetá, depois da prisão temporária decretada pela Justiça, por cinco dias. Enquanto o inquérito sobre o roubo de combustível na região de Queluz já foi concluído, a polícia civil de Guaratinguetá tem em andamento outros seis processos. "Dois relativos a roubo e quatro a formação de quadrilha, ou seja, à máfia dos combustíveis", explica o delegado responsável, Hélio Borges dos Santos.Todos os envolvidos estão ligados ao suposto líder da quadrilha, o empresário Joaquim Santólia de Souza, preso desde outubro do ano passado, dono de oito postos entre as cidades de Aparecida e Queluz, no Vale do Paraíba.A polícia civil começou a investigar este crime em janeiro do ano passado. Em março, foi presa a primeira pessoa envolvida. Depois disso, além da polícia ter conseguido chegar aos líderes, os roubos de carga de combustível não ocorreram mais no Vale do Paraíba. "Este é mais um indício da ligação destes empresários com o crime", diz Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.