Presos dois acusados de "vender" jornalista para sequestradores

A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira os dois ladrões que seqüestraram o jornalista Antenor Braido e o "venderam" por R$ 4 mil para outros quatro assaltantes. "São ladrões acostumados a assaltar pessoas nas ruas. Eles pretendiam realizar um seqüestro relâmpago e acabaram entregando o jornalista para uma quadrilha que está acostumada a seqüestrar", afirmou o delegado Godofredo Bittencourt Filho, diretor do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic).Braido foi seqüestrado na porta do comitê político do ex-prefeito Celso Pitta, no bairro de Moema, zona sul de São Paulo, na noite do dia 11. "Eles viram o jornalista entrando no carro e decidiram assaltá-lo", informou Bittencoirt. O diretor do Deic espera prender os demais em pouco tempo.Braido foi levado para uma favela da zona sul e transferido, depois de "vendido", para outra favela de onde foi retirado na madrugada de sábado e libertado após o pagamento do resgate. Os dois assaltantes serão apresentados nesta terça-feira no Deic. "Quero que expliquem esta história de repassar uma pessoa seqüestrada para outro grupo. Isto é novidade e é preciso acabar com esse tipo de crime", disse Bittencourt.O jornalista será chamado para identificar os dois ladrões que, segundo o diretor do Deic, confessaram o seqüestro e apontaram os outros envolvidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.