Presos dois professores acusados de corrupção de menores

A polícia de Mongaguá prendeu em flagrante dois professores da rede pública estadual sob a acusação de corrupção de menores. Nilo Felipe Bernerick, de 34 anos, que leciona italiano e português, e Benedito Antônio Martins de Oliveira, de 42 anos, que dá aulas de filosofia, foram surpreendidos pelos policiais no domingo, depois de denúncia de que haviam convidado dois adolescentes de 14 anos, que estavam no fliperama, a acompanhá-los até um apartamento na Vila São Paulo, prometendo pagar R$ 25 a cada um para manter relações sexuais com eles.Na vistoria feita no apartamento, foi encontrado farto material pornográfico, como cerca de 200 fotografias de crianças mantendo relações sexuais com adultos reproduzidas de páginas da internet e 55 disquetes com fotos do mesmo gênero. Com a chegada as polícia, os dois professores e os dois menores tentaram fugir. Nilo Bernerick foi preso nas escadas do prédio, enquanto Bendito de Oliveira já estava na garagem com os dois adolescentes. Os professores foram conduzidos à cadeia de Itanhaém, enquanto os adolescentes seguiram para o Conselho Tutelar de Mongaguá para atendimento psicológico.O delegado-titular da cidade, João José Peres Neves, revelou que o caso foi chocante. "Com o material que foi apreendido, envolvendo adolescentes, a gente fica muito chocado". Segundo testemunhas, há muito tempo os professores iam ao apartamento acompanhados por menores. "É só eles chegarem aqui, a molecada vinha atrás", disse o zelador do prédio, Valter José Rodrigues. O delegado espera que, com a divulgação da prisão dos dois professores, outras vítimas apresentem queixa em delegacias de Monguaguá ou da capital, onde os dois moram.

Agencia Estado,

24 de março de 2003 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.