Presos em Porto Ferreira têm fuga frustrada

Presos da cadeia de Porto Ferreira, região de Ribeirão Preto, tiveram frustrada uma tentativa de fuga neste sábado, por volta das 15 horas. A confusão começou quando um carcereiro foi retirar o lixo na unidade prisional, com o apoio de um guarda civil municipal, que estava armado.Para a coleta de lixo é necessária a passagem por uma primeira porta; uma segunda separa os presos do espaço reservado para se colocar os latões. Porém, ao ultrapassar a primeira porta, os presos arrombaram a segunda e renderam o carcereiro. Conseguiram também render o guarda municipal, que foi ferido na cabeça.Sua arma foi retirada pelos presos durante o "cavalo doido" - uma tentativa em massa de fuga pela porta da frente.Segundo o diretor da cadeia e delegado de Porto Ferreira, Eduardo Henrique Palmeira Campos, houve troca de tiros de lado a lado, sem que houvesse feridos. Os presos foram contidos por um investigador e outro guarda civil municipal, ambos armados. Diante da reação dos agentes, os presos voltaram para dentro da cadeia, mas com os dois reféns. Houve cerco policial e a negociação começou, terminando somente por volta das 18 horas.No início, os presos entregaram a arma e liberaram o guarda municipal. Porém, os amotinados exigiram a presença da imprensa regional para reclamar da superlotação da cadeia, que tem capacidade para 48 detentos e está com 84. Depois disso, liberaram o carcereiro.O delegado Campos informou que a cadeia está em processo de interdição, após rebelião ocorrida em março. O delegado lembrou ainda que a superlotação ocorreu nos últimos dias, pois 34 presos foram transferidos da cadeia de São Carlos para Porto Ferreira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.