Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Presos em SC e PR 6 acusados de golpes pela internet

Quadrilha pode ter causado prejuízo de R$ 300 mil; ao menos 50 pessoas foram afetadas pelo golpe

Solange Spigliatti, Central de Notícias

17 de setembro de 2009 | 08h59

Seis pessoas foram presas na quarta-feira no Paraná e em Santa Catarina acusadas de pertencer a uma quadrilha que aplicava golpes pela internet por meio de sites de vendas. O grupo pode ter causado prejuízo superior a R$ 300 mil. Policiais do Núcleo de Repressão aos Crimes Econômicos (Nurce) prenderam os suspeitos durante a Operação On Line. Foram cumpridos mandados de prisão preventiva em Cascavel e Toledo, no Paraná, e em Jaraguá do Sul e Fraiburgo, em Santa Catarina.  

 

A quadrilha anunciava produtos eletroeletrônicos com dados cadastrais de empresas estabelecidas no mercado. Os consumidores contatavam essas empresas e confirmavam que eram idôneas. A partir daí, faziam depósitos para uma conta determinada, no momento da encomenda no site falso. Como as mercadorias nunca chegavam, as vítimas contatavam as empresas e percebiam que tinham caído em um golpe.

Durante quatro meses de investigação, a polícia identificou, por enquanto, 50 vítimas no Paraná, São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Uma empresa de Cascavel, que teve os seus dados usados pela quadrilha, procurou o Nurce, que passou a investigar e levantou o esquema.

A polícia deteve Pedro Cezar Bessani Filho, Alan Christofer Cezário dos Santos, Diego Soares Moreira, Jean Carlos Pinheiro, Rodrigo Comarella e Marcelo Rodrigo Bosi. De acordo com o delegado coordenador do núcleo de Cascavel, Thiago Nóbrega de Almeida, os suspeitos são jovens e confessaram os crimes. Nos locais foram recolhidos equipamentos eletrônicos e de informática, além de documentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.