Presos entregam reféns e encerram motim em Lucélia (SP)

Terminou, por volta da 0h15 desta terça-feira, uma rebelião de presos que havia sido iniciada no início da tarde de segunda-feira na Penitenciária de Lucélia, região de Presidente Prudente, a 586 quilômetros da capital paulista. Após 12 horas de motim, os quatro últimos reféns, todos agentes carcerários, foram liberados pelos cerca de 1.200 presos que superlotam a carceragem feita para no máximo 800 pessoas. Segundo os funcionários da penitenciária, nenhum dos reféns sofreu ferimentos graves. Por volta das 18h30 de ontem, outro agente já havia sido liberado. Às 20h30, a negociação entre os amotinados, diretores regional e da penitenciária parecia que tinha sido encerrada e só seria retomada a partir das 7h30 de hoje, mas os detentos resolveram liberar todos os reféns no início desta madrugada. O motim começou após uma tentativa de fuga, quando um preso, armado, rendeu um dos agentes, mas foi baleado em um dos braços por seguranças da muralha. Com a fuga frustrada, os presidiários deram início ao motim. Até à 0h30, não havia sido informado se os detentos liberaram os reféns após o atendimento de alguma suposta reivindicação.

Agencia Estado,

21 Fevereiro 2006 | 01h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.