Sindpol/Divulgação
Sindpol/Divulgação

Presos eram liberados em troca de propina e favores sexuais em GO

Operação da Polícia Civil cumpriu 63 mandados de prisão e desarticulou esquema no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia

Rubens Santos, Especial para o Estado

19 Outubro 2016 | 12h21

GOIÂNIA - A Polícia Civil de Goiás cumpriu, na manhã desta quarta-feira, 19, 134 mandados de prisão durante a operação para apurar fraudes no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. De acordo com a polícia, o esquema consistia em troca de propina na liberação irregular de presos, por meio de falsificação de alvarás, de decisões judiciais e atestados médicos. Além de dinheiro, a troca de favores sexuais virou moeda para pagamento por serviços prestados.

Entre os presos estão advogados e servidores da Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap).

"Trata-se de uma fraude sistêmica, onde todos os envolvidos obtinham lucros", informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Do total de 134 mandatos, 35 eram de prisão preventiva e 28 de prisões temporárias. Os demais, de busca e apreensão.

Mais conteúdo sobre:
Secretaria de Segurança Pública

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.