Presos estrangeiros são transferidos para o interior de SP

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) vai transferir presos de origem estrangeira, distribuídos nas Unidades Prisionais do Estado de São Paulo para a Penitenciária de Itaí, no interior, a 290 quilômetros de da capital, que vai abrigar somente presos estrangeiros. A transferência dos presos começou nesta segunda-feira, 16, e prosseguirá até o dia 31. Atualmente, o presídio abriga 25 presos de nacionalidade estrangeira. Segundo a SAP, o objetivo é o de atender pedidos de alguns consulados. A grande maioria foi presa por tráfico de drogas, muitos deles conhecidos como "mulas". O Estado abriga 920 presos estrangeiros - 730 homens e 190 mulheres. Somente os homens serão transferidos.Detentos perigosos ou que estiverem no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) não serão transferidos, como é o caso do chileno Mauricio Norambuena, que seqüestrou o publicitário Washington Olivetto."Após sucessivas análises, concluiu-se que o melhor local seria a Penitenciária "Cabo PM Marcelo Pires da Silva" de Itaí, pelo fato de possuir disposição física adequada e também porque conta com corpo funcional melhor preparado para trabalhar com esse perfil diferenciado de preso", informou a secretaria por meio de sua assessoria.Os presos de origem estrangeira no sistema prisional paulista são dos seguintes países: África do Sul, Albânia, Alemanha, Angola, Argélia, Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Benim, Bolívia, Bulgária, Burundi, Cabo Verde, Camarões, Chile, China, Colômbia, Congo, Coréia do Sul, Costa do Marfim, Costa Rica, Cuba, Equador, Eslováquia, Espanha, Etiópia, França, Filipinas, Gana, Grécia, Guatemala, Guiana, Guiné, Guiné Bissau, Holanda, Índia, Inglaterra, Islândia, Israel, Itália, Iugoslávia, Japão, Jamaica, Líbano, Libéria, Marrocos, México, Moçambique, Nigéria, Noruega, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, República Dominicana, República Theca, Ruanda, Serra Leoa, Sérvia, Síria, Somália, Suíça, Suriname, Tanzânia, Togo, Trinidad Tobago, Turquia, Ucrânia, Uganda, Uruguai, Venezuela e Zimbábue.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.