Presos explodem muro e fogem de cadeia no Tocantins

Presídio é administrado por empresa privada e é denunciado por superlotação

O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2017 | 08h03

Um grupo de detentos usou bombas de dinamite para explodir um muro e fugir da Casa de Prisão Provisória de Palmas, no Tocantins, na noite desse domingo, 5. No total, 22 homens escaparam do pátio da unidade prisional no momento da explosão mas, segundo a Polícia Militar (PM), onze deles foram recapturados pouco depois. Outros três foram localizados nas horas seguintes e oito continuavam foragidos na manhã desta segunda-feira, 6. 

+++ Tribunal de Contas do Tocantins vai auditar contrato da Umanizzare na gestão de presídios superlotados

As polícias militar e civil fazem operação de busca aos fugitivos na região. A casa prisional é uma das maiores do Estado e uma das duas que funcionam em um modelo de cogestão com a empresa Umanizzare Gestão Prisional e Serviços Ltda. Em nota, a empresa ressaltou que a segurança da unidade ou qualquer ação disciplinar são de responsabilidade exclusiva do poder público.

+++ Prisão da Umanizzare no Tocantins tem superlotação de 145%

No início do ano, o Ministério Público denunciou que o presídio tinha lotação de 145%. Quase 700 pessoas eram abrigadas no local, com capacidade para 260.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.