Presos homens que vendiam drogas pela internet em SP

Após três meses de investigações, policiais do Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) prenderam na madrugada desta quarta-feira, em São Paulo, dois homens acusados de venderem drogas pelo MSN Messenger, ferramenta de comunicação instantânea na internet. Com a dupla foram apreendidos micropontos de LSD colocados em embalagens de pastilhas de uma conhecida fábrica de chocolates. Foram presos o auxiliar administrativo Carlos Henrique Leal, de 31 anos, conhecido como Charles, e o vendedor João Henrique Ramanholi Pires, de 28, o Johnny. Uma mulher de 34 anos e um homem de 35 foram detidos como usuários e liberados. Conforme dados do Denarc, a equipe de investigação obteve a informação de que Leal, após receber telefonema da pessoa interessada na droga, pedia que o usuário entrasse no MSN. Com o e-mail charlesgrass@hotmail.com, ele se conectava e fazia online toda a negociação para a entrega do entorpecente. Leal foi preso depois de ser seguido do condomínio onde mora, na Rua Sargento Geraldo Santana, Jardim Marajoara, até um posto de gasolina localizado na esquina da Avenida Washington Luis com Rua Palacete das Águias, onde chegou dirigindo uma picape Ford Ranger. O auxiliar estava a caminho da Alameda Glete, Santa Cecília, centro, onde faria uma entrega de maconha para o usuário detido. Em outro endereço do bairro Santa Cecília, onde ocorreria a segunda entrega, a usuária também foi detida. Na casa de Leal foram apreendidas mais porções de maconha e as pastilhas com LSD. No total, foram encontrados 790 gramas de maconha e 15 pastilhas. Questionado pelos investigadores, ele disse que a droga era fornecida por Pires, preso em sua casa, na Rua General Lindolfo Câmara Filho, Jardim da Saúde, onde foi apreendido 1,4 quilo de maconha.

Agencia Estado,

08 Fevereiro 2006 | 19h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.