Presos liberam reféns e encerram rebelião em Campo Grande

Na revista, polícia apreendeu duas pistolas e encontrou facas e armas artesanais

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

21 de abril de 2008 | 14h01

Terminou no fim da manhã desta segunda-feira, 21, a rebelião no centro de triagem do Complexo Penitenciário de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, iniciada por volta das 12 horas de domingo, 20, após uma tentativa de fuga frustrada. De acordo com a Polícia Militar, os presos libertaram as 73 pessoas que estavam sendo mantidas reféns dentro da unidade, incluindo um agente penitenciário. Não há informações sobre feridos. Durante as negociações, os rebelados chegaram a pedir a transferência de um homem que afirma ser jurado de morte por uma facção criminosa. No domingo, os amotinados libertaram uma grávida de quatro meses.  A libertação dos demais reféns começou por volta das 10 horas desta segunda, quando os presos decidiram liberar duas mulheres de 67 anos e um homem de 41 anos em troca de água, que estava cortada desde domingo. Os outros reféns foram liberados ao meio-dia. Até as 13h45, dentro da unidade, durante revista e recontagem dos detentos, a polícia já havia apreendido duas pistolas e encontrado facas e armas artesanais.

Mais conteúdo sobre:
motimCampo Grande

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.