Presos liberam reféns e rebelião termina em presídio paulista

A rebelião na penitenciária de Junqueirópolis, no oeste do Estado de São Paulo, terminou por volta das 16 horas com a liberação dos reféns, segundo informações da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP). Ninguém ficou ferido.As 87 pessoas que visitavam os detentos foram liberadas, assim como os 18 agentes penitenciários que haviam sido feitos reféns por cinco detentos. As negociações foram feitas com os diretores do presídio e não houve a necessidade da intervenção da Tropa de Choque.Por volta do meio-dia cinco agentes reféns foram soltos. Duas horas depois, os visitantes começaram a ser liberados. Eram 16 horas quando os presos decidiram liberar os sete últimos agentes e se render. Os cinco detentos foram transferidos para a Penitenciária 1 de Presidente Venceslau e os outros foram recolhidos às celas. Uma sindicância vai apurar se eles receberam ajuda para armar o plano de fuga.A rebelião começou por volta das 10 horas deste domingo, 29, após uma tentativa de fuga frustrada. Os presos usaram duas réplicas de pistolas, feitas de sabão, para render os agentes, dominar a penitenciária e evitar que os visitantes saíssem do presídio. Como não conseguiram fugir, passaram a negociar a rendição com diretores do presídio.O presídio de segurança máxima de Junqueirópolis tem capacidade para 792 detentos, mas abriga 1.262 presos.Matéria alterada às 18h00 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.