Presos libertam reféns e termina motim no Espírito Santo

Foi encerrada na tarde desta segunda-feira, 19, a rebelião na Penitenciária de Segurança Máxima de Viana, no Espírito Santo, com a liberação de um agente penitenciário e de cerca de 150 parentes de presos, mantidos reféns desde sábado, de acordo com a assessoria de imprensa do governo do Estado. Oficialmente, dois presos foram assassinados no presídio. Um deles foi decapitado. Os rebelados penduraram os corpos em uma grade do presídio e ameaçavam matar outros detentos. Os presos tinham granadas e ameaçavam usá-las se a polícia invadisse o complexo. A polícia ainda não entrou no presídio para confirmar se houve mais uma morte, relatada nesta manhã pelo celular por um dos amotinados. O comando da Polícia Militar dará uma entrevista coletiva no fim da tarde. O governo não informou se atendeu às reivindicações dos presos, que pediam a transferência de cinco presos, que estão sob custódia da Polícia Federal, para o sistema prisional. Também não foi detalhada a eventual participação da Força Nacional de Segurança, que está na cidade desde domingo, com 80 homens, no fim da rebelião.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.