Presos mantêm reféns em Sorocaba

Os 977 presos da Casa de Detenção de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, estão rebelados e mantêm três agentes penitenciários como reféns. Os revoltosos saíram das celas e assumiram o controle parcial do presídio. Houve choque entre as duas facções que disputam o comando interno da penitenciária e havia dezenas de presos com ferimentos. Até as 18 horas, a administração não tinha informações sobre a ocorrência de mortes.O diretor da Detenção, delegado Hugo Perni Neto, disse que as facção denominada Comando Revolucionário Democrático da Capital (CRDC) deu início à rebelião, por volta das 16 horas. O grupo exigia a transferência de supostos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) para outras unidades. No conflito, os presos que seriam ligados ao PCC foram acuados em uma das alas do presídio. Os agentes penitenciários conseguiram retirar cerca de 60 presos que estavam sendo agredidos pelos outros rebelados. Eles foram separados dos demais, pois havia o risco de um massacre. Foi durante essa operação que os três funcionários foram tomados como reféns. Os rebelados atearam fogos a colchões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.